Como nasce a censura

Padrões de comportamento

  • Alegação de controle e promoção da verdade
  • Uso constante da narrativa da urgência
  • Adoção sistematizada de mentiras e discursos padronizados
  • Perseguição política continuada
  • Ausência de senso moral
  • Uso abjeto da rotulagem
  • Defesa da agenda vigente da esquerda
  • Alinhamento à imprensa tradicional
  • Simulação de apartidarismo
  • Uso disciplinado de vagueza intencional

Rotinas

  • Redução de alcance não é censura
  • “Eu promovo a verdade”
  • “Nossos inimigos querem propagar notícias falsas”
  • “Nunca foi tão urgente controlar as notícias falsas”
  • “Nossos inimigos possuem interesses financeiros”
  • “Nós somos imparciais”
  • “Nossa idoneidade é comprovada pela IFCN”
  • “A imprensa deve nos ajudar no combate às fake news”
  • “Quem avalia nossos perfis e comportamentos está nos agredindo”
  • “Fact-checking não é censura”
  • “Vivemos em uma época de pós-verdade”
  • “Nossos críticos não ligam para as consequências”
  • “É um absurdo suspeitar da nossa idoneidade”

Objetivos

  • Censura
  • Eliminação do contraditório
  • Repressão política a adversários
  • Direito de mentir impunemente

Modelo de Operação

  • Seleção
  • Omissão
  • Distorção

Estratagemas

  • Espantalho
  • Ampliação indevida
  • Mudança sutil de termos
  • Objeção irrelevante
  • Literalismo dissimulado
  • Conversão de opinião em fato
  • Apelo à irrelevância
  • Invenção de contradições
  • Distinção de emergência
  • Tomada de prova pela tese
  • Seleção conveniente de fatos
  • Mudança de assunto